Contornos - Educação e Pesquisa: 2010

Principais artigos

29 de dezembro de 2010

Bibliotecas digitais coíbem o plágio acadêmico

A professora Débora Diniz falou sobre o plágio na produção científica durante o segundo dia de seminário da Comissão de Ética da UnB
Francisco Brasileiro - Da Secretaria de Comunicação da UnB
UnB Agência


As bibliotecas digitais dificultam o trabalho de plagiadores de artigos científicos. A afirmação é da professora Débora Diniz, do Departamento de Serviço Social da Universidade de Brasília. “Atualmente, um plagiador que publica um artigo copiado com certeza será descoberto”, disse a especialista, que é editora de periódicos internacionais. Débora falou no segundo dia do seminário da Comissão de Ética da Universidade de Brasília.

Para a professora, existem dois tipos de plagiadores: os ingênuos, formados na maioria das vezes por estudantes, e os experientes. “Estes são os que causam mais prejuízos, porque afetam a comunicação científica”, afirma. “Os primeiros merecem no máximo um puxão de orelha ou uma reprovação. A pergunta é o que fazer a respeito do plágio e do plagiador experiente”.

Débora explicou que os grandes periódicos já usam softwares capazes de detectar plágios sofisticados. “Os programas são capazes de detectar inclusive quando a ordem das palavras foi trocada na cópia”. A professora explica, contudo, que algumas vezes essa barreira consegue ser burlada. “O plagiador em cinco horas escreve um texto já de forma a evitar esses caça-plágios”, conta a professora.

As bibliotecas digitais de acesso livre de periódicos, como é o caso do sistema Scielo, adotado no Brasil, é outro avanço da tecnologia diminui ainda mais a possibilidade que o plágio passe despercebido. “O recurso permite a ampla circulação dos artigos e checagem da comunidade científica”, afirma. “Não acreditem em teorias conspiratórias de que o plágio tem crescido”.


17 de dezembro de 2010

ABNT em linhas gerais - formatação básica

Começando pelos aspectos básicos da apresentação de um trabalho nas normas da ABNT, iniciarei hoje uma sequência de posts sobre as normas. Já abordei aqui sobre links de sites que contém as normas para trabalhos acadêmicos (aí não só da ABNT), entretanto, escreverei visando facilitar o entendimento ou simplesmente introduzir os que ainda não possuem conhecimento sobre a norma a respeito de seus elementos fundamentais. :)


Formato

- Folha de papel A4 (21cm x 29,7cm), com o texto digitado apenas no anverso (ou seja, a frente) das folhas. A ABNT não dispõe negativamente sobre o uso de papel reciclado;
- O texto impresso deve em cor preta, mas as ilustrações podem ser coloridas;

Margens

- Margens superior e da esquerda : 3cm
- Margens inferior e da direita : 2 cm
- Primeira linha de cada parágrafos (recuo) : 1,25 cm

Fontes do texto

- A fonte de qualquer tipo (contando com o bom senso do autor, é claro), Times, Arial, Helvetica, Georgia ou outras;
- Quanto ao tamanho: 12 para o texto e 11 ou 10 para as citações diretas de mais de três linhas (as que possuem recuo de 4 cm); 
- Para notas de rodapé, paginação, legendas das ilustrações e similares, usa-se o tamanho 10.

Espaçamento

- O texto é digitado em espaço 1,5;
- Em espaço simples: resumo, citações diretas longas (as que possuem o recuo de 4 cm), notas de rodapé, referências, legendas e ficha catalográfica.
- As referências são separadas entre si por dois espaços simples.

Títulos

- Os títulos de capítulos (ou seja, as entradas primárias) iniciam em uma nova página, junto à margem superior, à esquerda.
- Os títulos não numerados (sumário, lista de figuras/tabelas, agradecimentos, resumo, referências, anexos, apêndices etc) são centralizados.
- Os títulos dos capítulos numerados, itens e sub-itens são apresentados junto à margem esquerda e livres de qualquer sinal gráfico (ponto, traço, etc.).
- Os títulos são destacados gradativamente, usando-se os recursos de negrito, itálico, caixa alta etc;
- Segundo NBR 6024 – ago. 2003, deve-se limitar a numeração progressiva (sub divisão de seções) até a seção quinária, ou seja, até cinco subseções.

Exemplos de apresentação de título:

1 SEÇÃO PRIMÁRIA - TODO EM NEGRITO E LETRAS MAIÚSCULAS
1.1 SEÇÃO SECUNDÁRIA - MAIÚSCULAS SIMPLES
1.1.1 Seção Terciária - Todo em negrito caixa baixa
1.1.1 Seção  Quaternária  - Em negrito e itálico
1.1.1.1  Seção Quinária  - Todo em itálico


Paginação

- Todas as folhas do trabalho, a partir da folha de rosto, devem ser contadas sequencialmente, mas nem todas são numeradas;
- A numeração é colocada apenas a partir da primeira folha textual (ou seja, o texto do trabalho propriamente dito ou a "introdução") em algarismos arábicos, no canto superior direito da folha, a 2 cm da borda superior;
- No caso de trabalho com mais de um volume, como também  no caso de apêndices e anexos, deve ser mantida a mesma numeração.

Veja também: Estrutura geral de um TCC: elementos textuais, ordenamento e formatação - Um guia básico

2 de dezembro de 2010

Epígrafe - o que é, como utilizar

A epígrafe é uma citação à escolha do autor, geralmente um trecho de uma obra literária, poesia ou até letra de música, que é inserida após os agradecimentos, é um elemento pré-textual (ou seja, antes do texto propriamente dito), enriquecendo (estética e/ou poeticamente) o trabalho. É opcional, situada em uma página própria, entre os agradecimentos e o resumo do trabalho.

Segundo a NBR 14724 (2011), epígrafe é um "texto em que o autor apresenta uma citação, seguida de indicação de autoria, relacionada com a matéria tratada no corpo do trabalho" (p. 2)


Fonte: http://www.uninove.br/PDFs/Biblioteca/Epigrafe.pdf

Como utilizar


A epígrafe pode estar situada tanto em uma página separada no início do trabalho quanto nas páginas de abertura das seções primárias (ou seja dos capítulos principais).


- Quando utilizada no início do trabalho, a epígrafe deve estar com a mesma fonte do texto, tamanho 10 e  aproximadamente 6 cm de recuo à esquerda, junto à margem inferior da folha, alinhada à direita, logo após os agradecimentos;
- A autoria deve constar logo abaixo da citação (não é necessário incluir a referência, só o autor já é suficiente);
- A epígrafe pode ser utilizada também logo no início de cada capítulo e em artigos, com recuo de aproximadamente 6 cm, alinhada à direita e com 2 cm de espaço do primeiro parágrafo.

Alguns exemplos:

epigrafe

epigrafe

24 de novembro de 2010

Procrastinação (II)


- De agora em diante, não trabalharei em mais nada, exceto minha tese!

- Cecilia, você pode...?
- Não.

- Você faria...?
- Não.

- Você poderia...?
- Não.

- Você irá...?
- Não.

- Algum progresso?
- Não...

Tradução por Val
Do site phdcomics.com

23 de novembro de 2010

MORE - Mecanismo Online para Referências



O MORE - Mecanismo Online para Referências é um sistema criado pela UFSC para gerar automaticamente referências já adequadas às normas da ABNT. É um sistema excelente, que sempre utilizo e recomendo. Não deixa de ser importante procurar entender como e por quê as referências se constituem de tal forma, no entanto, o sistema gerador de referências agiliza bastante o trabalho. :)

Sobre referências, veja também #FF em pesquisa (II).

19 de novembro de 2010

3 de novembro de 2010

Para organizar as tarefas: Todoist

Uma dica pra quem procura uma agenda ou lista de tarefas online simples e eficiente. Uso o Todoist há quase 2 anos e recomendo muito, especialmente para os que (como eu) possuem várias tarefas e pouca memória. Com uma interface que lembra o estilo do Google, é possível agregar as tarefas por contexto, listar prioridades, acessar através do celular e ainda mesclar tudo com o Gmail. :)

Clique na imagem para observar como funciona:




25 de outubro de 2010

Espaço Michel Foulcault


Criado pela Universidade de Brasília - UnB e mantido por Wanderson do Nascimento, o Espaço Michel Foucault serve como poderoso auxílio aos que buscam referências sobre o autor. O site possui textos em português e pesquisas que abordam temáticas foucaultianas.

Para conferir, acesse: http://michel-foucault.weebly.com/

7 de outubro de 2010

Lume - Repositório Digital da UFRGS

A fim de disponibilizar as produções científicas da universidade, a UFRGS criou um repositório digital de artigos, monografias, dissertações, teses, fotos entre outros trabalhos gerados no âmbito da universidade. São milhares de trabalhos cadastrados e classificados por áreas de conhecimento como Ciências Agrárias, Biológicas, da Saúde, Exatas e da Terra, Humanas, Sociais Aplicadas, Engenharias e Lingüística, Letras e Artes.

O objetivo é que esses trabalhos possam ser facilmente acessados, aumentando a visibilidade da produção intelectual da universidade. 

O repositório pode ser acessado em http://www.lume.ufrgs.br